A ecologia política da Costa Fluminense: um estudo etnográfico longitudinal da pesca, turismo e desenvolvimento industrial na baía de Sepetiba

  • Scott William Hoefle Universidade Federal do Rio de Janeiro

Resumo

Uma abordagem da ecologia política crítica global é usada num estudo etnográfico longitudinal envolvendo décadas de pesquisa sobre mudança no relacionamento entre pesca, turismo e desenvolvimento urbano-industrial na costa fluminense. A expansão de grandes projetos industriais e da área edificada da região metropolitana do Rio de Janeiro trouxe grandes transformações socioambientais que, ora criaram ameaças à pesca, ora abriram novas oportunidades multifuncionais e também introduziram atividades justapostas que não interferem com a vida da população local. À medida que os estoques pesqueiros diminuíam devido ao uso de métodos predatórios no setor empresarial e à crescente poluição urbano-industrial nas últimas décadas, a pequena pesca de baias e de lagunas entrou em declínio a leste e sudoeste da região metropolitana. O turismo aumentou, mas contribuiu pouco para agregar valor aos modos de vida multifuncionais. Consequentemente, somente uma pequena parcela dos pescadores se beneficiou e permaneceu nas ilhas e restingas enquanto a grande maioria foi morar em bairros populares dos centros urbanos no continente.

Publicado
2018-08-30
Seção
Dossiê "Zona Costeira do Brasil" - Parte 1