Revista Brasileira de Geografia https://rbg.ibge.gov.br/index.php/rbg <p align="justify"><strong><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="color: #000000;"><span style="font-family: 'Times New Roman';">Bem vindo à Revista Brasileira de Geografia (RBG), publicação científica semestral&nbsp;</span></span><span style="color: #000000;"><span style="font-family: 'Times New Roman';">do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).</span></span></span></strong></p> <div style="background: none repeat scroll 0% 0% #00c6b9; width: 500px; margin-top: 10px; padding: 5px 10px; border-radius: 15px 15px 15px 15px;"><strong>RECEBIMENTO DE ARTIGOS</strong>: Fluxo contínuo.</div> Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística pt-BR Revista Brasileira de Geografia 0034-723X Editorial v. 63 n. 2 https://rbg.ibge.gov.br/index.php/rbg/article/view/1846 Maria Lúcia Ribeiro Vilarinhos ##submission.copyrightStatement## 2019-03-28 2019-03-28 63 2 1 1 III Congresso Brasileiro de Geografia Política, Geopolítica e Gestão do Território: interfaces, pluralidade e renovação de um campo https://rbg.ibge.gov.br/index.php/rbg/article/view/1819 Juliana Nunes Rodrigues Licio Caetano do Rego Monteiro ##submission.copyrightStatement## 2019-03-28 2019-03-28 63 2 2 9 América Latina: uma integração regional agônica? A institucionalidade da integração regional E alguns de seus principais desafios https://rbg.ibge.gov.br/index.php/rbg/article/view/1821 <p>Esta pesquisa enfocou o Acordo Estratégico Transpacífico (TPP/TPP-11), a Aliança Bolivariana para os Povos de Nossa América-Tratado de Comércio dos Povos (Alba) e a Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac), considerando a institucionalidade de cada organização e suas caracterizações. Na metodologia de pesquisa foi feito um balanço preliminar da literatura sobre organizações regionais e sobre os casos específicos, em tentativa de correlacioná-las entre si, observando semelhanças e diferenças. Como resultados, verificamos que a arquitetura regional latino-americana é complexa e o regionalismo latino-americano não vive seu melhor momento. Com crise econômica, os processos de integração regional na América Latina refluem. O cenário político mais instável na região também dificulta a integração regional.</p> Claudete de Castro Silva Vitte ##submission.copyrightStatement## 2019-03-28 2019-03-28 63 2 10 23 O Correio como braço logístico do Estado: a execução de políticas públicas por meio da rede de agências postais no território brasileiro https://rbg.ibge.gov.br/index.php/rbg/article/view/1823 <p>Este trabalho tem o objetivo de revelar como a capilaridade de agências postais no território brasileiro e o serviço de logística dos Correios se tornaram fundamentais para a execução de políticas públicas. Sustenta-se a ideia do correio como um braço logístico do Estado, atualizando a sua relevância como um serviço público. A partir da instalação de fixos geográficos em todos os municípios, os Correios agem como um braço logístico do Estado. Dentre essas políticas públicas, destacam-se: o planejamento e ordenamento territorial urbano, o Banco Postal, a distribuição de vacinas, a distribuição de livros didáticos e logística dos materiais dos exames nacionais de educação, a emissão de documentos, a distribuição de donativos. Por fim, evocou-se a ideia de modelo cívico do território para problematizar a relação entre Estado, logística e cidadania na contemporaneidade.</p> Igor Venceslau ##submission.copyrightStatement## 2019-03-28 2019-03-28 63 2 24 37 Bio(necro)política da mineração: quando o desastre atinge o corpo-território https://rbg.ibge.gov.br/index.php/rbg/article/view/1827 <p>O artigo aborda o desastre da Samarco, como processo, vivenciado desde a escala do corpo pelos atingidos. A partir de uma bionecropolítica da mineração, com base em relatórios produzidos e em alguns relatos, destacamos os problemas de saúde vivenciados em Mariana e Barra Longa MG em decorrência do desastre. Para além das doenças, o sofrimento social dos atingidos é engendrado nos processos de desterritorialização e na constante deslegitimação de suas narrativas e denúncias.</p> Marina de Oliveira Penido ##submission.copyrightStatement## 2019-03-28 2019-03-28 63 2 38 51 Política y geopolítica en el proceso de regionalización del regimen autoritario chileno (1973-1990) https://rbg.ibge.gov.br/index.php/rbg/article/view/1828 <p>A partir das profundas transformações econômicas e das mudanças institucionais acontecidas no Chile entre 1973-1990, se reflete sobre o caráter geopolítico do processo de regionalização territorial efetuada pelo regime autoritário. Se discutem os sentidos políticos e geopolíticos da regionalização como parte do projeto hegemônico do regime, no qual a regionalização cumpre uma função fundamentalmente política-social, projetando a lógica de poder do Estado-territorial. Longe de uma geopolítica tradicional associada às tarefas estritamente militares, se analisa a regionalização em termos de verticalidade, persistência institucional e vigilância política. Se enfatiza assim que ditos elementos marcam um tipo de estratégia geopolítica e uma regionalização política que, em consonância às novas transformações econômicas do período, são também funcionais a um princípio da geopolítica clássica: o Estado acima da sociedade.</p> Rodolfo Quiroz ##submission.copyrightStatement## 2019-03-28 2019-03-28 63 2 52 63 Fronteira, conflitos e Estado de exceção https://rbg.ibge.gov.br/index.php/rbg/article/view/1829 <p>No estado do Mato Grosso do Sul, na faixa de fronteira do Brasil com o Paraguai, em relação à condição humana dos povos indígenas, existe um Estado de exceção declarado. Muitos direitos consuetudinário-constitucionais são negados, como os direitos territoriais e humanos. Devido aos processos de demarcação e ao movimento de autodemarcação das terras indígenas, esses grupos étnicos vivenciam a condição de insegurança social ao se tornarem alvos de violência, de assassinatos, suicídios e genocídios. Se os conflitos e confrontos colocam em xeque ainda mais a “vida nua” e a condição de exceção desses povos, as ações de retomadas de <em>tekoha</em> são a possibilidade concreta do devir indígena no estado.</p> Marcos Mondardo ##submission.copyrightStatement## 2019-03-28 2019-03-28 63 2 64 84 A fronteira como espaço de trabalho: o mercado de trabalho no contexto das regiões de fronteira de Brasil e Bolívia https://rbg.ibge.gov.br/index.php/rbg/article/view/1833 <p>Nos últimos anos os fluxos de imigrantes entre a Bolívia e o Brasil cresceram, isso fez com que houvesse mudanças nas dinâmicas do mercado de trabalho dos países. Essas mudanças impactariam de forma diferenciada dentro da Zona de Fronteira entre os países, já que existiria uma tendência para que esse fluxo estivesse muito presente na região. Sendo assim, essa pesquisa teve como objetivo analisar a dinâmica do mercado de trabalho na Zona de Fronteira entre Brasil e Bolívia, observando a migração da população boliviana e as atividades exercidas por esses migrantes. Para isso foram coletados dados relativos a entrada e registros dos migrantes, setores de atividade de trabalho e tipo de trabalho formal e informal dos bolivianos no Brasil.</p> Pedro Aguiar ##submission.copyrightStatement## 2019-03-28 2019-03-28 63 2 85 97 As redes acadêmicas e a integração informacional do Brasil com as Américas e a África https://rbg.ibge.gov.br/index.php/rbg/article/view/1836 <p>A história da Internet, no Brasil e no mundo, é indissociável da história da comunidade científica. Neste sentido, ao se pensar a integração informacional do território brasileiro com o exterior, é imprescindível ter em mente tanto o papel desempenhado pelas redes acadêmicas, quanto a importância de infraestruturas como cabos (sobretudo submarinos) de fibra ótica neste processo. Assim, o presente trabalho busca compreender a construção da integração informacional das redes acadêmicas brasileiras com as Américas e a África, tendo como base a articulação entre seus aspectos técnicos e políticos.</p> Antonio Gomes de Jesus Neto ##submission.copyrightStatement## 2019-03-28 2019-03-28 63 2 97 107 A influência da geografia no comportamento eleitoral: contexto social de vizinhança https://rbg.ibge.gov.br/index.php/rbg/article/view/1839 <p>O tema de estudo que trata da influência da geografia nas eleições, mais especificamente da influência do contexto social ou “lugar” onde o eleitor vive, é pouco explorado pela literatura geográfica brasileira. O artigo apresenta as principais teorias sobre esse tema na literatura anglo-saxônica, buscando demostrar como o desenvolvimento das pesquisas nessa área no Brasil pode fazer com que a geografia alcance uma posição de maior destaque dentro dos estudos eleitorais. Por fim, apresentamos o resultado de uma pesquisa de <em>survey</em> na cidade de São Paulo, onde encontramos evidências da influência do contexto social de vizinhança no comportamento eleitoral.</p> Aleksei Zolnerkevic ##submission.copyrightStatement## 2019-03-28 2019-03-28 63 2 108 119 Proposta metodológica para adequação das informações do Censo Demográfico do IBGE na análise da vulnerabilidade social a eventos extremos na zona costeira https://rbg.ibge.gov.br/index.php/rbg/article/view/1842 <p>Tendo em vista a intensificação dos efeitos dos eventos extremos nas zonas costeiras do Brasil, particularmente na Região Sul, são oportunos estudos que considerem a vulnerabilidade social das populações locais de forma a entender como estas podem ser mais ou menos afetadas por esses eventos. Neste sentido, diferentes estratégias para a caracterização da população sob risco e sua vulnerabilidade, tendo por base o uso de dados de censos demográficos, têm sido propostas por diversos autores, sobretudo ao longo das duas últimas décadas. Todavia, no país ainda é pequeno o debate relativo à seleção dos descritores mais efetivos e à representatividade espacial das amostragens censitárias disponíveis. Esse artigo tem por objetivo avaliar as limitações do uso de variáveis censitárias, através do desenvolvimento de uma metodologia capaz de ajustar o recorte espacial dos setores censitários do IBGE às áreas costeiras expostas a eventos extremos. Os resultados obtidos ilustram a importância de se realizar ajustes prévios quando da utilização dos setores censitários para estudos de vulnerabilidade social costeira.</p> Cibele Oliveira Lima Jarbas Bonetti ##submission.copyrightStatement## 2019-03-22 2019-03-22 63 2 120 138 Diagnóstico da gestão costeira e das políticas públicas do Município de São Francisco do Sul, SC, Brasil https://rbg.ibge.gov.br/index.php/rbg/article/view/1844 <p>Foram analisadas as ações relacionadas ao gerenciamento costeiro no município de São Francisco do Sul/SC para obter um panorama geral com relação à integração entre as secretarias municipais. Para isso, foi realizada a aplicação de um Decálogo, que consiste em dez temas chave que possibilitam a análise da estrutura pública municipal em relação ao gerenciamento costeiro. Para a análise foram realizadas reuniões com a prefeitura e consultas a documentos públicos e materiais cartográficos. Constatou-se que a prefeitura apresenta diversas iniciativas no setor ambiental, todavia é incipiente em relação ao gerenciamento costeiro integrado. Este conhecimento poderia dar as primeiras diretrizes para que seja possível o aperfeiçoamento dos atuais processos de gestão ambiental e a elaboração de uma Política de Gerenciamento Costeiro.</p> André de Souza de Lima Apoena Calixto Figueirôa Victor Gabriel Zapelini Guião Coelho Celso Voos Vieira Francisco Arenhart da Veiga Lima Marinez Eymael Garcia Scherer ##submission.copyrightStatement## 2019-03-28 2019-03-28 63 2 139 153