https://rbg.ibge.gov.br/index.php/rbg/issue/feed Revista Brasileira de Geografia 2021-04-28T10:00:12-03:00 Revista Brasileira de Geografia rbg@ibge.gov.br Open Journal Systems <p align="justify"><strong><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="color: #000000;"><span style="font-family: 'Times New Roman';">Bem vindo à Revista Brasileira de Geografia (RBG), publicação científica semestral&nbsp;</span></span><span style="color: #000000;"><span style="font-family: 'Times New Roman';">do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).</span></span></span></strong></p> <div style="background: none repeat scroll 0% 0% #00c6b9; width: 500px; margin-top: 10px; padding: 5px 10px; border-radius: 15px 15px 15px 15px;"><strong>RECEBIMENTO DE ARTIGOS</strong>: Fluxo contínuo.</div> https://rbg.ibge.gov.br/index.php/rbg/article/view/4437 Editorial v. 65 n. 2 2021-04-16T16:20:27-03:00 Conselho Editorial da Revista Brasileira de Geografia rbg@ibge.gov.br <p>Editorial v. 65 n. 2</p> 2021-04-16T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://rbg.ibge.gov.br/index.php/rbg/article/view/2851 Encontro de geografias no mapeamento censitário de localidades indígenas e quilombolas 2021-04-28T10:00:08-03:00 Fernando Damasco fernando.damasco@ibge.gov.br Marta Antunes marta.antunes@ibge.gov.br <p>Apresenta-se a metodologia utilizada no mapeamento de localidades indígenas e de localidades quilombolas na produção da cartografia do Censo Demográfico 2020, retomando o conceito de <em>localidade</em> construído historicamente no Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, sua aplicação no planejamento e execução de pesquisas estatísticas e geográficas e de que forma foi possível associá-lo à diversidade territorial indígena e quilombola. Os resultados preliminares do mapeamento foram divulgados na Base de Informações sobre os Indígenas e Quilombolas 2019, publicada pelo IBGE em 2020, tendo em vista a emergência em saúde pela Covid-19, e serão aprofundados, destacando-se a importância da constante revisão das categorias territoriais de referência para a realização de censos, com destaque para a reinterpretação do conceito de <em>localidade</em>.</p> 2021-04-16T10:40:59-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://rbg.ibge.gov.br/index.php/rbg/article/view/3810 A Mobilidade na Região Metropolitana do Rio de Janeiro e o Transporte Aquaviário 2021-04-28T10:00:10-03:00 Gabriel Teixeira Barros gabriel.t.barros@gmail.com <p>Neste artigo, faço um levantamento, por meio de da-dos coletados no Censo Demográfico 2010, das áreas mais deficitárias em termos de acessibilidade ao cen-tro do Município do Rio de Janeiro, onde o transporte aquaviário de passageiros poderia aparecer como uma possível alternativa de integração no sistema, tendo em vista a sua configuração em tempos passa-dos. Apresentarei dados relativos à dinâmica ambien-tal do recorte, a fim de verificar se estes comprometem de alguma forma a organização do sistema. Verifica-remos como os dados de deslocamento para trabalho e estudo demonstram o afastamento progressivo entre a Baía de Guanabara e a metrópole do Rio de Janei-ro, sendo essa relegada a mera coadjuvante no sis-tema de transportes metropolitano. Criticamente, es-tando afastada das áreas prioritárias para o poder público em termos de valorização ambiental, a baía recebe altas cargas de poluição residencial e industri-al não tratadas permanentemente.</p> 2021-04-16T10:27:30-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://rbg.ibge.gov.br/index.php/rbg/article/view/4426 A Geografia Histórica - uma nota 2021-04-28T10:00:11-03:00 Roberto Lobato Corrêa lobatocorrea@uol.com.br <p>Geografia e História constituem campos distintos do conhecimento, ambas exibindo uma longa trajetória. Ambas têm como objeto o estudo da sociedade, mas a distinção entre elas, correntemente aceita, de que a História interessa-se pelo passado e a Geografia pelo presente é equivocada. A História se interessa pelo tempo, conforme assevera Marc Bloch e, nesta mesma linha de raciocínio, a Geografia pelo espaço. Assim, a História pode considerar a sociedade no tempo presente e a Geografia considerar a sociedade em sua espacialidade no passado. Temporalidade e Espacialidade são temas importantes, mas não exclusivos à Geografia. Mas isto não significa uma distinção dicotômica entre Geografia e História, pois espaço e tempo constituem uma unidade na qual ambas as partes se interpenetram: o tempo condiciona o espaço e este interfere no tempo. Geografia e História, em realidade, estão interrelacionadas, mas ao mesmo tempo desfrutam de uma relativa autonomia, graças aos atributos de espacialidade, isto é, localização, escala espacial, arranjo espacial e interações espaciais, e aos atributos da temporalidade, isto é, criação, desenvolvimento e transformação.</p> 2021-04-16T10:35:02-03:00 ##submission.copyrightStatement##